Novo endereço do blog

•21/09/2010 • 1 Comentário

Pois é,

Estamos em uma nova cozinha, mas continua nossa! Apareça e aprecie!

Bafo de cebola? Resista a este prato, se for capaz!

•31/07/2010 • Deixe um comentário

A Cozinha é Nossa? É!

Claro que as mulheres têm seu espaço… Lavando a louça depois…

(Brincadeira, meninas, brincadeira…).

Hoje começo a abrir esse espaço, que era pra ser essencialmente masculino, para as mulheres. E começo com uma corajosa mulher que abandonou o hábito da carne: Denise Rangel. Denise, além do blog pessoal, o Sturm und Drung, desenvolve os projetos Roda de Leitura e Decoração Sustentável, escreve no Ecoblogs e é minha parceira no Faça a sua parte.

Denise, nesse post (e em outros) fala da sua vitória sobre a carne. Apesar de ser carnívoro ao extremo, gosto de cebolas. E, contestando o título do post (que é título do post dela) tô me lixando pro “bafo de cebola”.

Mas vamos à receita (fotos do passo a passo, no original, aqui):

Gostou? Tem receitinha no final :)

Comer cebolas não é um hábito muito cultivado, por conta do forte cheiro que deixa o hálito impregnado. Embora haja maneiras mais agradáveis de degustá-las, ainda assim, a pobrezinha é injustamente preterida.

O fato é que a cebola tem muito poder. Ela  é tiro e queda para combater micróbios, verrugas, prisão de ventre e até insônia.  Cardiologistas e nutricionistas garantem seus efeitos terapêuticos e antiinflamatórios,  por ser  um alimento rico em flavonóide, um antioxidante que age contra os radicais livres, grandes responsáveis pelo envelhecimento precoce, e  diminui a oxidação das placas de gordura nas artérias, prevenindo doenças cardíacas.

O famigerado bafo

Quando se cogita em comer cebolas, a primeira ideia que nos ocorre é seu cheiro característico e desagradável. Qual a solução, então, para a halitose – o famigerado bafo – que atormenta quem gosta dessa deliciosa iguaria?  Um segredinho é cortá-la bem fininha e consumi-la com salsinha para eliminar o mau-hálito. “Ah, mas ainda tem o problema do cheiro nas mãos”, vocês dirão. Este é fácil de resolver: basta esfregar as mãos em borra de café.

Há um outro truque, para os menos apressadinhos (o que não é meu caso), que consiste em escaldar as cebolas em água fervendo e deixá-las nessa água por 2 minutos. Em seguida, escorrê-las e descascá-las sob água fria. Confesso que não tenho paciência para tanto.

Os paliativos para perfumar o hálito, após comer cebolas, são muitos. Um deles é morder uma ou duas fatias de limão bem salgado. Já imaginaram? Após comer aquela salada deliciosa e acebolada, peça ao garçom um limão cortado em fatias, passe-as no sal e mande ver. Alguém já tentou esta façanha?

Cebolas fritas – o segredo

Brincadeiras à parte, sejamos justos: com bafo ou não, as cebolas são deliciosas! E, para ilustrar este post e deixar todos com água na boca,  vou contar o segredo do preparo destas maravilhosas cebolas fritas:

  • Primeiro, deve-se cortar uma cebola grande em fatias muito finas. Em seguida, aquecer 2 xícaras de manteiga e despejar sobre as cebolas. Depois, misturar 2 colheres de sopa de vinagre branco em 2 xícaras de leite e despejar sobre as cebolas em tiras. Deixar repousar por pelo menos uma hora.
  • À parte, misturar 2 xícaras de farinha de trigo e 1 colher de sopa de sal, em uma tigela. Se preferir,  acrescentar pimenta  moída (eu dispenso a pimenta).
  • Aquecer 1/2 litro de óleo de canola em uma panela, a uma temperatura de [o post original se dá ao preciosismo de colocar um termômetro na frigideira. Deixa eu falar: frescura de gente que fala outra língua. Dá uma olhada no óleo e pronto. Quere queiras, quer não queiras, ele vai esquentar…]. Passar punhados de anéis de cebola na mistura da farinha, mergulhá-los no óleo e fritá-los até ficarem douradinhos. Em seguida, coloque-os para escorrer em papel toalha.
  • Finalmente, devore-os, sozinhos ou acompanhados. Nham, nham..

Bafo de cebola? Resista a este prato, se for capaz! Depois, aproveite para testar um dos truques sugeridos para acabar com o famigerado!  :)

Foto: Mike Saechang

Dica minha: nunca deixe de comer cebola ou alho por causa do “bafo”. Se fores a uma reunião depois de comer cebola, faça o que de melhor pode ser feito em reuniões: fique de boca fechada. Se for cantar uma mulher, faça o que de melhor deve ser feito com mulheres: escolha uma que goste de cebola.

E dane-se o “bafo”!

Uma receita da mamãe!

•26/07/2010 • 1 Comentário

Hoje temos uma daquelas famosas e imbatíveis receitas da mamãe. Quem enviou foi o Carlos Tomaz, do blog Lar da Veterinária (muito bom, pra nós, que temos nossos bichinhos).

É também, uma receita que não leva carne. Logo, para @s amantes da comida natural é um prato cheio, né Denise? Mas vamos ao texto do Carlos, que pelo jeito também adora uma gelada. Desde já agradeço a receita:

“Queria compartilhar uma receita que aprendi com minha mãe.

Além de ser muito fácil, serve como ótimo aperitivo com uma cervejinha gelada.

Bolinho de arroz com espinafre

Bom, não vou colocar quantidade de ingredientes por que vai usar o quanto tiver. Sabe aquele arroz que vai sobrando e depois você vai acabar jogando fora? Vamos usá-lo pra fazer o bolinho.

Pode bater o arroz no liquidificador ou processador, tanto faz. Você vai usar quanto arroz tiver, então a quantidade dos outros ingredientes vai depender do tanto de arroz que for usado na receita. Coloque o arroz já batido em uma vasilha, misture 1 ovo (se tiver muito arroz pode por mais ovos).

Misture também farinha de trigo. Vá colocando a farinha e misturando até formar uma massa homogênea e firme. Coloque tempero a gosto, um pouco de sal, gosto de por também orégano, cheiro verde e cebola picadinha.

Pegue as folhas de espinafre, lave bem,e corte bem fininhas, como se fosse couve. Misture também na massa. Caso não tenha espinafre, pode fazer sem, mas garanto que da um gostinho a mais no bolinho.

Em uma panela, aqueça óleo pra fritar. Faça os bolinhos com a mão ou colher. Pode ser qualquer formato, desde que seja pequeno, pra quando fritar, aquecer por inteiro a parte de dentro. Não precisa fritar muito, só pra dar uma corzinha, já que o arroz já é cozido.

Retire e vai colocando em uma vasilha com papel-toalha. Sirva quente acompanhando a cervejinha bem gelada…

Dica 1: Pode substituir o arroz por mandioca cozida!
Dica 2: A base da massa é arroz (ou mandioca), ovo e farinha, o restante pode ser substituído por qualquer coisa. Use pimentão, tomate, bacon, queijo, etc… Com queijo fica muito bom também!

Abraço!
Carlos Tomaz
http://lardaveterinaria.com.br
@carlostomaz”

Atualização. Fotos do bolinho:

Um molho de bife!

•24/07/2010 • 1 Comentário

Cansado de escolher a carne para fazer um molho? Compre bifes! Isso mesmo, bifes de coxão de dentro. E como fazer? Vamos por partes.

Por sinal, a primeira parte é justamente cortar os bifes… em partes. Ao meio. Olha só:

E depois cortá-lo em tiras:

Compre uma bandeja com três bifes (mais ou menos 500g).

Coloque azeite numa frigideira de ferro. Acenda o fogo e coloque uma colher de café de açucar:

Aproveita que o reflexo no óleo fica bonito. Deixe o açucar queimar…

E coloque a carne para fritar e dourar…

Enquanto a carne doura, abra uma cervejinha, sirva-se de um copo e comece a preparação do almoço. Acenda um cigarro. Não fuma e nem bebe? Desista! Não siga a leitura.

Desmanche dois tabletes de caldo de galinha em um copo de água quente…

e misture na carne. Acrescente um punhado de pimenta do reino e misture bem. Não sabe o que é um punhado? Olha aí:

Mistura bem, tampa, e deixa cozinhar por um tempo…

Que tempo? Algo como o suficiente para acender outro cigarro, toamar mias um copo e dar uma bimbadinha na patroa. Depois disso, vamos ao restante do molho. Tomates, cebola, alho e pimentão. Só o básico…

Primeiro, vamos passar a cebola no triturador, modernamente chamado de.. de… ah! Não lembro. Esse negócio que serve pra desmanchar a cebola. Não tem? Corta com a mão mesmo…

O alho! Corte o alho. Uns três ou quatro dentes, dependendo de se a patroa também gosta. Coloque o alho na carne e deixe cozinhar por uns goles de cerveja e um cigarro…

Terminou o cigarro? Coloque a cebola e deixe cozinhar por mais uns… goles de cerveja. Enquanto isso, passe o tomate pelo processador (lembrei!). E faz um favor: deixa de ser fresco e coloca com pele e sementes. Esse negócio de tirar a pele e a semente é coisa de restaurante que está mais preocupado com a beleza dos pratos do que com a tua saúde. Lembre-se: a semente do tomate é uma das maiores fontes de vitamina C.

Despeje o tomate na frigideira e misture…

Bom, mistura bem, abaixa o fogo e vai tomar uma cervejinha, fumar um cigarrinho e terminar a bimbada na patroa. Afinal, antes foi só dez minutos, agora tens meia hora! Dá e sobra.E não te preocupa que não queima.

Terminou? Vamos ao pimentão. Lavou? Tô falando do pimentão! Corte em quatro partes, tire as sementes e lave. Vou pesquisar se as semente do pimetão são boas. Se forem, passo a usá-las também…

Pegue uma quarte parte e pique-a…

Coloque no molho e espere um pouco. Uns goles… Coloque três colheres de extrato de tomate. Mas tem que ser extrato, pois os “molhos” já são temperados e podem atrapalhar…

Deixe cozinhar por mais meia hora. Não aguenta mais? O quê? Cerveja, cigarro ou dar uns beijinhos na patroa? Tá com pressa? Tá bem, vamos aos finalmente, à parte mais importante, a surpresa, o toque que fará ela transbordar de prazer… ao comer tua comida!

Adicione um pouco de canela. Sim, ela mesma, a mais famosa das especiarias! Uma pitada. Olha só…

(na verdade, usei só a metade do que está na foto). Vai colocando aos poucos e provando. Não esquece de enxaguar a boca com água, antes, prá tirar o gosto da cerveja e do cigarro. Não pode ficar forte, nem fraco. Vai provando ao gosto. Desliga e deixa assim por uns goles a mais de cerveja e outro cigarro. Não precisa mais se preocupar com a patroa. A essas alturas a fome dela é por comida, qualquer que seja…

Terminado o cigarro, prova o sal. Normalmente, vais ter que colocar uma pitada a mais…

Mistura e vai provando. Como alternativa, podes acrescentar uma pimenta vermelha picadinha. Como tenho andando meio ruim das bichas, dessa vez não coloquei a dita.

Tá pronto o molho. Deixa tampado e vai cozinhar a massa.

Dessa vez fiz um fagotini misturado com capeleti. Se não tivesse fotografado antes, não teria como contar a história. Não sobrou nem pro jantar… Olha o resultado:

Bueno, bueno… vou usar meu novo faqueiro!

•21/06/2010 • Deixe um comentário

Uma pena, enfim! Mas, nem todas as ideias dão certo, né? Não creio que fosse pelos prêmios, que eram bons. O faqueiro, por exemplo, não era de prata, mas de bom inox, mais de R$100,00.

E sequer um caldinho de galinha apareceu. Resultado? Farei bom uso do meu mais novo faqueiro. E o blog volta a ser o que deveria: um relato das minhas experiências culinárias e de piloto da cozinha aqui de casa. Histórias, causos, receitas.

E para quem quiser participar. Agora sem prêmios.

Não tá morto quem peleia!

•30/05/2010 • 2 Comentários

Recuso-me a desistir. Então, prorrogo o prazo para as receitas de sopas/cremes para o dia 20 de junho.

Bueno, outra colher de chá a vida não te dará. Melhor dizendo, outro faqueiro como esse a vida não te dará.

A melhor receita de creme/sopa

•15/05/2010 • 5 Comentários

Resolvido. Aproveitando que o inverno se aproxima, aqui no hemisfério sul, o próximo concurso será “A melhor receita de creme/sopa feita por homens”. O prêmio é o faqueiro do post anterior. As regras? As mesmas, apenas troquem miojo por creme/sopa e a data de entrega das receitas, que será até às 24 horas do dia 20 de maio de 2010.

Bom, espero que dessa vez mais gente participe, heheh